07. Substantivos Masculinos e Femininos (Aula 4 – Partes 1 e 2: Gênero do Substantivo)

Palavras masculinas:

ágape (refeição dos primitivos cristãos);

anátema (excomungação);

axioma (premissa verdadeira);

caudal (cachoeira);

carcinoma (tumor maligno);

champanha, clã, clarinete, contralto, coma, diabete/diabetes (FeM classificam como gênero vacilante);

diadema, estratagema, fibroma (tumor benigno);

herpes, hosana (hino);

jângal (floresta da Índia);

lhama, praça (soldado raso);

praça (soldado raso);

proclama, sabiá, soprano (FeM classificam como gênero vacilante);

suéter, tapa (FeM classificam como gênero vacilante);

teiró (parte de arma de fogo ou arado);

telefonema, trema, vau (trecho raso do rio).

 

Palavras femininas:

abusão (engano);

alcíone (ave doa antigos);

aluvião, araquã (ave);

áspide (reptil peçonhento);

baitaca (ave);

cataplasma, cal, clâmide (manto grego);

cólera (doença);

derme, dinamite, entorce, fácies (aspecto);

filoxera (inseto e doença);

gênese, guriatã (ave);

hélice (FeM classificam como gênero vacilante);

jaçanã (ave);

juriti (tipo de aves);

libido, mascote, omoplata, rês, suçuarana (felino);

sucuri, tíbia, trama, ubá (canoa);

usucapião (FeM classificam como gênero vacilante);

xerox (cópia).

 

Gênero vacilante:

acauã (falcão);

inambu (ave);

laringe, personagem (Ceg. fala que é usada indistintamente nos dois gêneros, mas que há preferência de autores pelo masculino);

víspora.

 

Alguns femininos:

abade – abadessa;

abegão (feitor) – abegoa;

alcaide (antigo governador) – alcaidessa, alcaidina;

aldeão – aldeã;

anfitrião – anfitrioa, anfitriã;

beirão (natural da Beira) – beiroa;

besuntão (porcalhão) – besuntona;

bonachão – bonachona;

bretão – bretoa, bretã;

cantador – cantadeira;

cantor – cantora, cantadora, cantarina, cantatriz;

castelão (dono do castelo) – castelã;

catalão – catalã;

cavaleiro – cavaleira, amazona;

charlatão – charlatã;

coimbrão – coimbrã;

cônsul – consulesa;

comarcão – comarcã;

cônego – canonisa;

czar – czarina;

deus – deusa, déia;

diácono (clérigo) – diaconisa;

doge (antigo magistrado) – dogesa;

druida – druidesa;

elefante – elefanta e aliá (Ceilão);

embaixador – embaixadora e embaixatriz;

ermitão – ermitoa, ermitã;

faisão – faisoa (Cegalla), faisã;

hortelão (trata da horta) – horteloa;

javali – javalina;

ladrão – ladra, ladroa, ladrona;

felá (camponês) – felaína;

flâmine (antigo sacerdote) – flamínica;

frade – freira;

frei – sóror;

gigante – giganta;

grou – grua;

lebrão – lebre;

maestro – maestrina;

maganão (malicioso) – magana;

melro – mélroa;

mocetão – mocetona;

oficial – oficiala;

padre – madre;

papa – papisa;

pardal – pardoca, pardaloca, pardaleja;

parvo – párvoa;

peão – peã, peona;

perdigão – perdiz;

prior – prioresa, priora;

mu ou mulo – mula;

rajá – rani;

rapaz – rapariga;

rascão (desleixado) – rascoa;

sandeu – sandia;

sintrão – sintrã;

sultão – sultana;

tabaréu – tabaroa;

varão – matrona, mulher;

veado – veada;

vilão – viloa, vilã.

Comentários